domingo, 21 de maio de 2017

Felicidade é fazer o que você ama






Chega domingo, final do dia e você ouve a famosa vinheta do fantástico. Na sequência um enorme aperto no coração, uma angustia inexplicável, uma dor no estômago e uma vontade de chorar!

Sinto informar, mas você foi contemplado com uma doença que atinge grande parte da população: A “Síndrome do Fantástico”.

Com isso, trabalhar na segunda-feira passa a ser um martírio. Desde o momento que o despertador toca até o final do expediente. A hora não passa, o ponteiro do relógio não anda. "Dá meia noite, mas não dá 18:00". A qualidade do seu trabalho cai, você passa a se incomodar com as pessoas pegando no seu pé e a sua insatisfação só aumenta. E como uma bola de neve, você começa a não se comprometer com as atividades que deve cumprir e literalmente aperta a famosa tecla “F”. O Resultado é retrabalho, mais insatisfação e o sentimento de esgotamento total, amparado pela esperança da tão esperada sexta-feira. Até que novamente você ouça a vinheta do fantástico.... 

Não há nada mais prejudicial para a saúde do que infelicidade. A longo prazo os efeitos podem ser realmente sérios. Depressão, gastrite, obesidade e tantas outras doenças que começam silenciosamente. 

E aqui eu tenho uma dica para você: Não se acostume com aquilo que não traz felicidade. identifique o que falta na sua vida e parta para a ação. Seja o protagonista da sua história. 

Quando sabemos o que queremos e realizamos aquilo que faz nosso coração vibrar começamos a dar valor a cada dia não nos importando se é segunda-feira, sexta-feira ou domingo. É claro que decisões exigem planejamento, coragem e determinação. 

E foi pensando nisso que a SecGlobal desenvolveu o Experience um projeto que vai ajudar as pessoas a encontrarem as ferramentas necessárias para alcançar seus objetivos e alçar novos voos.

Com o Experience os indivíduos são convidados a vivenciar uma experiência que os levará ao sucesso potencializando de uma maneira real e única suas habilidades. O objetivo do Experience é possibilitar um lifestyle mais amplo e de realizações com garantia de sucesso. 

Ao longo do mês farei alguns posts na página do Facebook sobre o serviço, seus resultados e como irá funcionar. 

Curta nossa página e fique atento às novidades.

Um abraço e uma ótima semana,  

Simara Rodrigues 

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Não espere resultados extraordinários fazendo o básico



Hoje o post é sobre DIFERENCIAÇÃO


Segundo o dicionário diferenciação significa: 

Ação ou efeito de diferenciar; diferença.

Desde que escolhi o Secretariado como profissão me dediquei a ser diferente, uma profissional fora da curva. Sem qualquer soberba eu percebi um incrível oceano azul na minha profissão, mas que exigia mais do que os outros faziam. Diferenciação é isso, é você se distinguir dos outros, ir além. 

Devo admitir que tive e tenho muita sorte de estar no lugar certo e na hora certa, mas o fato de buscar a excelência me trouxe muita vantagem competitiva. Mas nem tudo são flores, é claro. Tive que “ralar” muito. Porque no dia a dia não basta de dizer que você é....você tem que ser. 

Uns dos episódios que mais marcaram essa mudança de postura aconteceu em outubro de 2016, quando havia sido recém contratada para trabalhar numa gigante das telecomunicações. Tudo estava maravilhosamente bem, finalmente tinha conseguido minha independência financeira e havia possibilidade de prospecção. Foi então que passei pela 1ª de muitas das reestruturações. Em Brasília eramos duas secretárias que assessoravam três Diretores – nível de Vice-Presidência. Sete meses após a minha contratação minha colega, a qual estava amando trabalhar em parceria, retorna da mesa do Diretor e diz: “Rodrigues, fui demitida”. Como era seu hábito ser muito bem-humorada, imediatamente disse: “ah, para de brincadeira”. E ela concluiu. É sério, fui demitida, fico até novembro. 

Ali percebi, pela primeira vez, que o mundo corporativo não é um conto de fadas, onde todos trabalham com os mesmos propósitos. É a lei da sobrevivência. 

Não havia motivo algum que desabonasse seu trabalho. Pelo contrário, ela era uma ótima secretária, com vasta experiência e estava na empesa há aproximadamente 05 anos. Mas a empresa passava por mudanças e fazia parte do planejamento estratégico uma redução, a primeira de muitas que eu vivenciei e naquele momento ela foi a escolhida. 

Foi a primeira vez que tive medo do desemprego. E fosse eu? Aliás, era para ter sido eu. Algum tempo depois, um Diretor confidencializou a mim: Era você quem iria ser demitida. Como estava a menos tempo na empresa seria mais sensato – isso porque incluía custos e tributos que sendo eu a escolhida seriam menores. E esse mesmo gestor concluiu: Contamos com você e espero que você responda às nossas expectativas. 

Daquele dia em diante eu virei um trato e nos três anos seguintes eu respirei para aquela empresa. Cheguei a pesar 59 kg. Entrava 08:00 da manhã e saia às 21:00. Meu banco de horas me permitiria ficar meses fora. Minha casa era apenas um ponto de apoio para tomar banho e dormir. Perdi as contas de quantas vezes fiz um lanche rápido num canto da copa, em pé. 

2009 nova fusão. Dessa vez as duas maiores empresas de telecomunicações do País anunciavam fusão. Mas agora eu estava mais preparada e confiantes. Já conseguia “ler” as estratégias. Como num jogo de xadrez, já sabia quem cairia e quem subiria. Durante esse período fiz um bom trabalho, a essa altura já conhecia os principais nomes da empresa em Brasília e de outros estados e já era lembrada por muitos. Numa empresa com milhares de colaboradores você ser lembrada e citada por vice-presidente é um grande diferencial. Quando a fusão aconteceu havia mais Secretárias em Brasília do que na empresa toda. 

Foi uma experiência incrível, apesar de todos os temores e frustações. Mais uma vez, excelentes profissionais seriam desligados por uma questão de reestruturação e reengenharia. Seja como for, permaneci no quadro e dessa vez com uma missão: compartilhar e multiplicar os conhecimentos e cultura da empresa para as demais Secretárias que permaneceram e lógico, me adaptar aos novos Diretores que assessoria. Das 45 secretárias em Brasília restaram 2 e eu. 

Fizemos uma ótima parceria nos anos seguintes. Nos completávamos. Ainda hoje sinto saudades delas. Erámos completamente diferentes, talvez por isso desse certo. 

Eu acredito que todas as oportunidades que surgiram ao longo dos anos que permaneci na empresa, foram fruto de uma decisão que começou em 2006 – Ser a melhor e fazer a diferença. E quando tomei essa decisão não foi com o intuito de competir com ninguém, mas superar os meus próprios limites. Nunca precisei puxar o tapete de ninguém e nunca vi o outro como um rival, pelo contrário, eu vi muitas oportunidades. A empresa era grande, havia oportunidade para todos. Bastava ser bom, ou melhor, bastava ser muito bom. 

É claro que não há uma receita de bolo, mas posso garantir que motivação, senso de urgência, construção de relacionamentos, entusiasmo, flexibilidade e determinação foram diferenciais. 

Se você espera ter sucesso fazendo o que todo mundo faz, sinto informar, mas esse caminho não gera resultados extraordinários. Se quiser se destacar você vai precisar entregar mais do que os outros estão costumados a receber. Isso é o que nos diferencia dos demais. 


Um abraço,

Simara Rodrigues 

terça-feira, 16 de maio de 2017

Organize sua vida da mesma maneira que organiza as suas viagens




"Organize sua vida da mesma maneira que organiza as suas viagens" - E assim, dias atrás, levei um pequeno soco no estomago numa manhã de treinamento. 


Já perdi as contas de quantos treinamentos participei esse ano. Isso porque, em cumprimento ao que estabeleci para a minha vida nos próximos 10 anos exigirá de mim mais disciplina, foco, conhecimento e resultados assertivos. Talvez por isso esse treinamento foi tão significativo. 

Por N motivos ano passado tive uma mudança de mindset e resolvi fazer diferente do que vinha fazendo, ou seja, trabalhar menos e ter mais resultados. 

Quando ouvi a palestrante falar sobre organização de viagens me identifiquei imediatamente. Em partes porque uma das minhas maiores motivações é viajar. 

Começo a organização de uma viagem ainda no avião, de volta para casa. Sou tão apaixonada em planejar minhas viagens que muitos meses antes já tenho tudo pronto: Escolha do destino, passagens pagas, programação, dicas, hotéis, locação e etc. Até mesmo quando o plano é não ter planos, como na última viagem, eu acabo planejamento o básico. 

Naquele dia fiquei pensando sobre o assunto. "Organizar a vida como organizo minhas viagens". Por que é tão prazeroso organizar uma viagem e nem tanto a nossa vida? por que buscamos desculpas para procrastinar nossa carreira, nossa saúde, nossas realizações pessoais, nossas finanças, o encerramento de um ciclo, a abertura de um negócio, a mudança de emprego, de relacionamento, de vida? Por que não planejar a vida da mesma forma? com prazos, roteiros, companhias, paisagens e entretenimento? 

Algumas pessoas podem dizer: "Simara, o futuro a Deus pertence. Não podemos controlar o destino". Acontece que planejar a vida não significa controlar cada passo e viver como um robô autoprogramado. Planejar significa saber onde estamos, aonde queremos chegar e como chegaremos - perceba que é exatamente como organizar uma viagem. 



Com base nessas reflexões, compartilho algumas dicas que podem ser úteis: 

Reserve um tempo para pensar: Quando você decide viajar imagino que o primeiro passo seja pesquisar e isso exige tempo para buscar informações. Faço o mesmo ao planejar a sua vida. Reserve um tempo, sozinho, para pensar sobre as possibilidades, oportunidades, GAPs e anseios. Deixe os pensamentos surgirem e anote aquilo que for relevante. 


Determine seus interesses e objetivos: Quando se organiza uma viagem é natural surgir perguntas do tipo: Quero verão ou inverno? praia ou neve? aventura ou sossego? Ao começar o planejamento da sua vida o critério é o mesmo. Verifique quais são seus interesses e veja se estão alinhados aos seus objetivos. Lembre-se que os objetivos podem ser alterados, adaptados ou cancelados - igualmente como em uma viagem - se você perceber que não estão mais de acordo com seus interesses, simplesmente mude a rota. 

Foque no que traz felicidade e paixão: A primeira vez que li o livro "comer, rezar amar" da autora Elizabeth Gilbert, fiquei tão apaixonada por sua experiência que coloquei como meta para a próxima viagem: "Conhecer a Itália exatamente como descrito no livro". Resultado: algum tempo depois lá estava eu na Itália refazendo os mesmos caminhos que a autora descreveu. Planeje os passos que precisará dar para atingir o seu objetivo. É maravilhoso quando nossos sonhos são se tornam realidade. 

Inclua inspiração nos seus pensamentos diários: Sonhar com o dia da viagem e como será cada lugar, cada experiência não é maravilhoso? E que tal se você fizer o mesmo na sua vida. Independentemente da vida estar corrida e com tantos desafios prospecte seus objetivos e os resultados dos seus planos. Mentalize e saboreie cada momento, como se ele já existisse. Além de ser física quântica pura, motiva na busca por melhores resultados. Lembre-se: você atrai aquilo que transmite. 

Seja criativo: Geralmente há muitas formas de atingir um objetivo. Quando decido viajar e o orçamento está apertado logo penso: O que eu preciso fazer para conseguir esse valor? Nessas horas surgem ideias maravilhosas e que me aproximam da minha meta. Quer um exemplo? Anos atrás estava trocando meu veículo e com parte do dinheiro na mão para dar de entrada. Escolhi o carro e passei o valor da entrada no cartão de crédito, que convertido em milhas possibilitou a compra dos bilhetes aéreos. Tente pensar em todas as formas possíveis de criar uma jornada interessante para você. Pensar num plano B pode ser a solução. 

Estabeleça objetivos diários - Adoro pesquisar os lugares que visitarei. Acesso blog, assisto vídeos no youtube, converso com amigos que foram para aquele lugar. Com isso tenho o gostinho da realização regularmente e me ajuda a conseguir estabelecer minhas metas. O mesmo acontece no planejamento da nossa vida. Tente criar objetivos pequenos para que consiga chegar mais perto de seu objetivo principal. 


Mude seus hábitos - Bilhetes comprados, metas estabelecidas, é preciso mudar hábitos. Compras fúteis, saídas necessárias, gastos acima do previsto são um verdadeiro sabotador. Se for necessário, até escondo meu cartão de crédito de mim mesma. Não são poucas as pessoas que vivem reclamando que não conseguem viajar porque "não sobra dinheiro". Essas pessoas geralmente esperam que as soluções para seus problemas caiam do céu. Coincidência ou não o mesmo acontece com o planejamento da vida? Por que alguns "chegam lá" e outros não? Pare de olhar a grama do vizinho e estabeleça a suas próprias metas. Conheço gente que ficou anos comendo marmitinha, mesmo tendo "dinheiro sobrando"  para conseguir comprar o carro dos sonhos. Algum demérito ou futilidade nisso? Eu acho que não. 

Seja planejando uma viagem ou a sua vida, você nunca mais retornará ao mesmo estado mental e espiritual, isso porque sempre há algo novo para aprender e conhecer. Como será essa viagem, aí é você quem estabelece. 

Um abraço e uma boa viagem! 

Simara Rodrigues

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Cuidado com o coitadismo na hora de buscar emprego




"Me ajuda, preciso de um emprego, pois tenho filho, meu aluguel está atrasado, meu marido está desempregado, estou desesperada. Meu seguro desemprego acaba esse mês. Estou aceitando trabalhar com qualquer coisa". 


Muito cuidado com textos apelativos no momento de uma recolocação profissional. Em muitas situações só vai atrapalhar. 

É fato que todos nós temos compromissos, contas e obrigações. Mas não podemos usar isso como forma de comoção para conseguir uma vaga de emprego. Sabe por que? Porque ninguém vai indicar, recomendar ou mesmo contratar uma pessoa pelo simples fato dela precisar do emprego. 

Há muitos anos tive o grande prazer de trabalhar com um gestor que me ensinou na prática o que estou dizendo. Certa vez, tarde da noite, fui até sua mesa e disse: "Fulano, preciso de aumento. Não aguento mais pagar cheque especial'. 

Sua resposta foi rápida e precisa: "quando você me apresentar os resultados do seu trabalho e como tem sido a sua produtividade avaliarei a sua situação. Sua conta corrente não é problema meu". #tapanacara #podiaterdormidosemessa. Quase morri de vergonha. 

Depois desse episódio nunca mais precisei pedir aumento para nenhum gestor. Eu apenas apresentava meus resultados, meu comprometimento e minhas contribuições. Afinal, contra dados e fatos, não há argumento. 

Não passe uma impressão de coitadinho. Mostre posição, interesse, postura e ações positivas.

Há gestores mais conservadores que ao se deparar com essa situação de "coitadismo" simplesmente vão deletar qualquer oportunidade, por mais que sua experiência seja a ideal, você será descartado. 

Isso porque as empresas buscam profissionais de alta performance, aqueles "mão massa". Quer buscar um emprego utilizando sua rede de contatos? destaque suas competências, o seu potencial e sua capacidade para contribuir com a empresa. Isso será muito mais importante do que as suas necessidades básicas. 

Um abraço, 

Simara Rodrigues 


domingo, 14 de maio de 2017

Tenha prioridades bem definidas



Outro dia uma amiga, muito querida por sinal, queixava-se por não conseguir entregar em tempo hábil seu TCC - trabalho de conclusão de curso - e teria que postergar sua apresentação à banca examinadora. Eu, de forma muito tranquila e sem qualquer juízo de valores disse: "Não sofra. Semestre que vem você apresenta. Neste não foi sua prioridade". 


Ela imediatamente esbravejou: Como assim não foi prioridade? eu só não tive tempo de finalizar. 

Então disse: "minha amiga, o que quis dizer foi que neste momento você precisou priorizar outras coisas, a exemplo do seu emprego, que exigiu de você uma carga muito maior de trabalho e hora extra, inclusive sábado e domingo para conseguir concluir o projeto. Então ela sorriu e disse: "É verdade. Nesse momento tive que priorizar o trabalho". 

É exatamente isso, nós ao longo do dia, do ano e da vida damos prioridade ao que importa para nós. Observem que quando quereremos viajar, por exemplo, somos hábeis em organizar o roteiro, a compra das passagens, a reserva dos hotéis, reserva de orçamento e etc. 

Outro exemplo é quando a prioridade é investir na carreira. Buscamos cursos, sites, mentores e criamos um planejamento. Prioridade é isso: Saber definir o que é importante para nós. E quando você estabelece as prioridades da sua vida, não há nada que o impeça de seguir. É como fazer dieta. Se sua prioridade for emagrecer, eu te garanto que você será capaz de ir a qualquer evento e manter a sua dieta, porque isso é importante para você. 

O que precisamos definir, e isso só compete a cada um de nós, é: 

Estamos dando prioridade para as coisas certas? para aquilo que realmente importa e vai gerar resultado em nossas vidas? É preciso refletir sobre o valor que damos para as coisas e avaliar o que realmente é prioridade para vencer. 

Eu não sei quais são as suas prioridades, mas serão elas que definirão o seu futuro. 

um abraço, 

Simara rodrigues


sexta-feira, 28 de abril de 2017

Vem aí a Jornada Acadêmica de Secretariado Executivo - UNIP

A Universidade Paulista - UNIP, promove de 02 a 05 de maio a Jornada Acadêmica de Secretariado Executivo. O evento, que será aberto ao público, tem como objetivo promover a aproximação dos alunos com a realidade do mercado de trabalho por meio de palestras, seminários e feira empreendedora. Os temas a serem abordados prometem agregar conhecimentos à todas as áreas de conhecimento e profissões. 


A abertura dos eventos será com a feira empreendedora, no dia 02/05 a partir das 19:00 no Pátio Central da Instituição localizada na SGAS 913 SUL, Brasília, DF. O objetivo da feira é estimular os alunos e interessados em um tema amplamente discutido: O empreendedorismo e as oportunidade de negócio. Durante o evento será possível conhecer empresários, serviços e segmentos e participar de rodadas de negócios que acontecerão simultaneamente e de acordo com a programação. 


No dia 03/05 a partir das 19:00 acontecerá no anfiteatro da Instituição a palestra com a psicóloga Stela Lobato que abordará o tema Inteligência emocional e o impacto no ambiente de trabalho e no Dia 04/05 acontecerá também no anfiteatro da UNIP o seminário de iniciação científica. 


Todos os eventos são gratuitos e aberto ao público


As inscrições estão sendo realizadas diretamente do no site no evento ou a partir dos links abaixo descritos: 






Conheça o site do evento 



PROGRAMAÇÃO DO DIA 02/05/2017 


19:00 Credenciamento
19:20 In​ício da primeira Rodada com ​mesas simultâneas
20h00 Visita aos stands empreendedores
20h30 In​ício da segunda rodada com ​mesas simultâneas
21h10 Mudança de mesa
21h20 In​ício terceira rodada com ​mesas simultâneas
​​22h0 Encerramento


Cada participante escolhe até 03 (três) assuntos de seu interesse e participa das discussões com especialistas em mesas com no máximo 8 pessoas.

saiba mais e conheça os palestrantes 



Mais informações e inscrição: jornadaunip2017@gmail.com

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Como organizar um Coffee break de qualidade?



Sempre gostei de organizar Coffee break nos eventos corporativos das empresas que trabalhei, o que modéstia a parte, me rendeu muitos elogios e trouxe visibilidade para o meu trabalho. Lembro-me, com muito carinho, de uma época que assessorei um expatriado e tínhamos uma lista de "exigências" de melhores práticas do que podia e não podia, o que incluía - pasmem - corte de frutas em lamina. Para alguns soava como soberba e falta "do que fazer" Para mim, uma oportunidade singular para aprender sobre sofisticação, bom gosto e etiqueta. 


Algumas pessoas pensam que organizar um Coffee break significa ligar na lanchonete do prédio e encomendar pão de queijo, coxinha frita e suco, mas não é. Embora pareça uma atividade simples , a organização de um Coffee break pode falar muito sobre você, destacando seu bom gosto, cuidado, zelo e planejamento. Isso, sem deixar de mencionar que o Coffee break também influencia na imagem que os participantes levarão do evento. 


Veja algumas dicas, surpreenda seu cliente e prepara-se para os elogios. E lembre-se não é porque uma atividade é simples que precisa ser simplista. Continuo acreditando na máxima: Não há nada mais medíocre que contentar-se com o bom, busque sempre o melhor!


Montagem da mesa - Reserve duas mesas: uma para as bebidas (café, chá, chocolate quente, água, por exemplo) e outra para as comidas. Escolha toalhas claras - elas deixa um ar de limpeza. Lembre-se de disponibilizar guardanapos. 


Se a empresa tiver serviço de garçom oriente-o como montar a mesa e após a montagem faça um check list, dando o seu "toque final' e suas considerações. 


Alimentos naturais - Atualmente as pessoas têm se preocupado mais com a saúde e têm buscado alimentos saudáveis. Então, evite frituras, refrigerante e alimentos indigestos. Lembre-se que as pessoas estão em uma reunião. Portanto, opte por alimentos leves e saudáveis. Um bom Coffee break não precisa ter milhares de calorias para ser saboroso e proporcionar resultados positivos no público presente. 


Aposte nas frutas - Frutas, além de saudáveis, decoram a mesa. Portanto, monte de uma mesa com frutas de fácil consumo. Morango e uva são boas sugestões. Outra proposta são potinhos individuais de saladas de frutas. Só tenha cuidado para não deixaram a salada "aguada demais". Certa vez, pedi salada de fruta e o fornecedor preparou com melancia. Não ficou legal essa combinação. 


Tenha uma lista de fornecedores - Networking, como sempre é tudo! até para contratação de fornecedores. Foi em um café e gostou dos produtos, peça o cartão e verifique a forma de entrega, pagamento e etc. Crie um banco de dados de seus fornecedores. Oportunidade é isso: Estar sempre atento. 


Evite frituras - Frituras são indigestas, deixam o ambiente com odor, não são saudáveis e deixam a mesa "pesada". Evite esses produtos em Coffee break. Opte por eles em coquetel volante, e olhe lá! 


Horário certo: 


Se o Coffee break for Entre 7h e 9h aposte em itens típicos de café da manhã, como pão de queijo e cereais. Entre 9h e 11h30: é possível servir itens mais “pesados” e com “cara de almoço”, como tortas salgadas e sanduíches mais incrementados. Das 15h em diante: aposte em opções salgadas e tortas doces. 


Sugestão do que servir em um coffee break pela manhã


café 
Mini sanduíches (com queijo e peito e peru) 
Petit fours (salgados e doces) são ótimos, baratos e gostoso 
Biscoitos e cereais 
Frutas da época 
iogurte 
geleia 
torradas 
suco natural (aposte no clássico de laranja) - 
chá (Twinings são os melhores)
pão de queijo (tamanho coquetel) 


O que servir em um coffee break à tarde 


Bolos diversos: fubá, chocolate, laranja, etc. 
Mini pães doces de chocolate e creme
mini sanduíches com peito queijo, alface e tomate (adoro um que vende na casa dos biscoitos mineiros) 
croissant (doce e salgado)
suco natural 
café, 
chá 
gelatina 


E como calcular a quantidade por pessoa?


Em linhas gerais, você não vai errar se calcular as quantidades da seguinte maneira:


Salgados: cinco porções por pessoa 
Doces: três porções por pessoa 
Frutas: uma porção por pessoa 
Bebidas: 300 ml por pessoa. 


Se a sua empresa tiver itens itens de copa - aposte em cestas, bandejas de porcelana, xícaras, mini pratinhos e talheres clássicos. Em alguns casos, vale a pena alugar e montar uma mesa mais requintada. Se a regra da empresa é utilizar tudo descartável, uma dica é negociar com os fornecedor que as louças sejam cedidas/emprestadas na contratação do Coffee. Negocie! 


E por último, não esqueça dos vegetarianos. Hoje eles, na verdade nós, porque me incluo, fazemos parte significativa do mundo corporativo e também comemos. :) 


Espero que as dicas sejam úteis




domingo, 16 de abril de 2017

Ter apenas "dom" não basta

Na autobiografia “Mais rápido que um raio”, o velocista jamaicano Usain Bolt admite ter nascido com o dom para o esporte, mas ressalta que a conquista de nove medalhas de ouro em Jogos Olímpicos e de outras onze em mundiais se deve principalmente ao seu esforço, disciplina e foco para atingir os resultados.


A conclusão do homem mais rápido do planeta nos leva a refletir que o talento é capaz de elevar uma pessoa a um determinado patamar de sucesso, porém, a permanência na posição de destaque por um longo período, de maneira consistente, e superação de novas marcas só acontecerá se a habilidade e o esforço caminharem lado a lado. Fazendo um paralelo, isso também é válido no mundo corporativo, independente do seu nível hierárquico dentro da companhia.

Nem todas as pessoas percebem, mas, assim como no esporte, no mundo corporativo o dia a dia de um profissional de sucesso não é um mar de rosas, com um salário atraente, bônus volumosos, auxílio educação e automóvel da empresa à disposição, por exemplo. Em geral, o destaque e os prêmios são resultados de constantes atualizações durante e após o expediente, anos de qualificações acadêmicas, dedicação para o desenvolvimento ou aprimoramento de suas habilidades e muitas reuniões para definir, acompanhar e redefinir metas. Apenas algumas pessoas estão dispostas a essa rotina.

Na vida, poucas vezes as vitórias estão relacionadas apenas à sorte. Vence quem acredita que o esforço vai além do talento! Esforce-se!

Por Fernando Mantovani

Fonte:
https://www.roberthalf.com.br/blog/ter-apenas-dom-nao-lhe-levara-ao-topo

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Amigos amigos, indicações à parte



Em tempos de desemprego ainda alto, praticamente todo mundo conhece alguém que acabou de perder o emprego ou já está há tempos à procura de trabalho. E quando esta pessoa é um grande amigo que agora clama por sua ajuda, você indicaria para uma vaga? Não é apenas por causa da proximidade que você é obrigado a indicar a qualquer custo. Veja como não entrar numa saia justa sem perder a amizade:

Você se sente realmente seguro para indicá-lo para a vaga? 
Muitas vezes conhecemos mais nossos amigos do que nossa própria família. Então, provavelmente, você sabe muito bem se o perfil dele combina com o clima da área e a cultura da empresa. Caso já saiba que ele potencialmente não iria se adaptar, não vale a pena perder nem seu tempo nem o dele nesta indicação. Melhor tentar ajudá-lo de outra forma.

Seu amigo é realmente apto para a vaga? 
Ele tem as habilidades que o posto demanda ou você está querendo “forçar um pouco a barra” para ajudar uma pessoa que gosta muito? Uma indicação não é o único ponto que determina uma contratação, mas pode ajudar em alguns casos. Amigo mesmo é aquele que é sempre sincero e você certamente saberá a melhor forma de conversar com ele sobre o assunto.

Você não se sente à vontade para indicar, mas mente que enviou o currículo ou o Linkedin? 
Isso acontece - e muito. Principalmente se a pessoa que procura uma vaga quer muito aquele posto ou procura desesperadamente por um emprego. Mas você já pensou que um dia essa história pode vir à tona? Amigos com bom senso entenderão quando estiverem fora do perfil almejado pelo posto ou fora da cultura da empresa.

Seu amigo foi chamado para a entrevista de emprego, mas não foi contratado? Foi contratado, mas não se adaptou ao novo emprego? Acontece muito também. E não é culpa sua. Por mais que uma indicação possa, de alguma forma, ajudar em uma contratação, contam ainda mais o perfil profissional, experiência e características que o posto almeja. Uma indicação também não é segurança de que a contratação será 100% certeira. Erros acontecem. E seu amigo precisa ter maturidade suficiente para saber que esta é a dinâmica do mercado.

* Por Juliana Porto


FONTE: 

https://www.roberthalf.com.br/blog/amigos-amigos-indicacoes-parte

terça-feira, 11 de abril de 2017

Até quando permanecer numa empresa?



Afinal, quanto tempo devemos permanecer numa empresa? Costumo dizer que essa é a pergunta de 1 milhão!

A verdade é que não há um cronograma que prevê o tempo que devemos permanecer em uma empresa ou ocupando um determinado cargo. O que vai definir esse tempo são duas variáveis: 


Valor agregado - O que significa avaliar se o trabalho desempenhado na empresa está contribuindo e agregando aos resultados esperados. E também se a empresa está agregando valor à sua carreira e atendendo às suas expectativas. É importante destacar que essa análise não pode ser terceirizada, ou seja, é papel de cada individuo avaliar e refletir sobre os pontos positivos e negativos, e o quanto a experiência tem valido a pena. Você pode ficar 20 anos em uma empresa, a questão é a ser avaliada é: você produz resultado? você tem inovado nos processos? você continua aprendendo e aprimorando suas habilidades? você continua apaixonado pelo que faz? Seus pares e líderes reconhecem o seu potencial? Você continua motivado e vendo sentido no trabalho que desempenha? Você está feliz?





Plano de carreira - Diferente do século passado em que a empresa participava do crescimento profissional de seus colaboradores a partir das promoções e trajetória profissional, hoje somos nós quem protagonizamos a nossa carreira. O que significa dizer que cabe a você se preocupar com o seu plano de carreira, definir suas aspirações, necessidades, expectativas e anseios. 

Escrevendo esse artigo, lembrei-se de um gestor que trabalhei que não apoiava a minha decisão em iniciar uma pós-graduação. Para ele, o essencial era que fosse apenas a "gestora de sua agenda". Acontece que meus planos iam além, eu deseja muito mais e aquela experiência era, para mim, uma etapa importante, mas não definitiva. Infelizmente, muitos gestores, dominados pelo egoísmo, nos levam a limitação intelectual e profissional. Por isso, é tão importante saber aonde você quer chegar e se as habilidades desempenhadas atualmente estão alinhadas com o seu plano de carreira. Do contrário, você já sabe o que deve fazer! 


#prapensar 


Um abraço, 


Simara Rodrigues



segunda-feira, 10 de abril de 2017

As descabidas teorias sobre o fim dos empregos


 Vira e mexa surgem especulações sobre o fim de algumas profissões, a exemplo da Profissão de Secretariado. 

Particularmente não acredito que uma profissão milenar seja extinta. 

Entretanto, acredito, sem sombra de dúvidas, numa mudança de perfil, postura e posicionamento. 



Portanto, o grande desafios das gerações futuras "é fazer uma leitura sobre tendências de cada área. Buscar o “gap” de oportunidade é a chave para manter a competitividade no mercado de trabalho. As novas carreiras são evoluções das atividades profissionais existentes. Poucas são realmente disruptivas e fazem áreas desaparecerem"

Recomendo a leitura do artigo abaixo, publicado no jornal Valor Econômico em 30/03/2017 pelo colunista Rafael Souto, na expectativa de "desconstruir" algumas crenças limitantes. 

AS DESCABIDAS TEORIAS SOBRE O FIM DOS EMPREGOS

Nossa espécie tem um apetite voraz para produzir teorias apocalípticas. Cresci com a ideia de que o petróleo acabaria no planeta antes da virada do milênio. Hoje, as reservas de petróleo se mostram muito maiores do que as previsões apontavam.

Em 2005, o furação Katrina fez estragos profundos em New Orleans. Não faltaram alarmistas para afirmar que as temporadas seguintes seriam muito piores. O fato não se confirmou. É verdade que sofremos com alterações climáticas. Questiono, no entanto, as tentativas quase sempre equivocadas de prever o futuro. Escuto teorias sobre elevação do mar em 100 anos, quando temos dificuldade de prever o clima na próxima safra agrícola. Definitivamente somos pouco efetivos em olhar o futuro.

Na mesma família de futurologia aparecem estudos sobre os rumos do emprego no planeta. O economista Jeremy Rifkin é um dos expoentes na ideia de que o emprego vai desaparecer. Fez um ensaio detalhado sobre o desemprego estrutural num livro chamado o “Fim dos Empregos”, de 1996. Ele mostrou que, ao longo do tempo, em função da tecnologia, competitividade dos negócios e crescentes custos com pessoal, o emprego tende a evaporar.

Não faltam artigos, livros e estudos nessa direção. O Fórum Economico Mundial de Davos tratou da chamada quarta revolução industrial. Fez uma estimativa de que devem ser perdidos até cinco milhões de empregos até 2020 nas quinze maiores economias do mundo, em função do avanço de tecnologia que substitui humanos.

Poucas vozes surgem como contraponto dessa onda pessimista. Entre elas, destaco três pesquisadores britânicos: Alex Cole, Ian Stewart e Debapratim. Em seu mais recente estudo, o trio afirmou que a tecnologia cria mais empregos do que extingue. Dizem que o principal fator para o erro nas previsões é justamente a imprevisibilidade dos negócios. Também citam que as mudanças são menos rápidas como achamos.

Quando observo o mercado de trabalho, tendo a concordar com o estudo desses britânicos, com destaque para dois aspectos.

O primeiro deles é uma separação conceitual entre emprego e trabalho. O emprego tradicional terá sempre seu espaço. Está na base do capitalismo e tende a crescer em momentos de aquecimento econômico. No entanto, é naturalmente um ciclo finito na carreira de cada profissional. Dessa forma, é necessário construir alternativas de trabalho. Pensar em emprego para a vida toda é algo inviável. Com o aumento de longevidade, é necessário construir estratégias de trabalho para continuar produtivo e gerando receita quando o período do emprego tradicional se encerrar. Como atividades empreendedora, de docência e de consultoria. Nesse sentido, o emprego pode ter fim na vida de uma pessoa, mas o trabalho seguirá existindo na economia.

A segunda reflexão é sobre às atividades profissionais. Não faltam publicações que citam carros autônomos, inteligência artificial, big data e outras tendências que nos fazem parecer jurássicos. Esse tom de jornada nas estrelas pouco ajuda na reflexão prática sobre estratégias de carreira. Algumas profissões podem ser extintas, mas a grande maioria vai sendo transformada com o tempo.

Se observamos as novas profissões, podemos concluir que são carreiras tradicionais que sofreram mutações. O marketing digital, por exemplo, é uma evolução das áreas tradicionais de marketing. Assim como as novas atividades na área de logística tiveram origem das atividades ligadas às áreas de materiais e distribuição.

Os contadores foram durante algum tempo considerados como profissionais ultrapassados. De fato, os contabilistas de calça caqui e suspensório deram lugar aos profissionais de controladoria que hoje são altamente valorizados.

O desafio do futuro das profissões é fazer uma leitura sobre tendências de cada área. Buscar o “gap” de oportunidade é a chave para manter a competitividade no mercado de trabalho. As novas carreiras são evoluções das atividades profissionais existentes. Poucas são realmente disruptivas e fazem áreas desaparecerem.

Para descobrir quais são as tendências, é necessário curiosidade e controle sobre a carreira. O brilhante estudioso Mark Savikas afirma que os mais adaptáveis assumem a gestão de sua carreira, são curiosos na busca de informações e novas experiencias e têm a clareza de que são os responsáveis pelo seu sucesso profissional.

Fonte: 

http://www.valor.com.br




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Como você tem procurado emprego?


Imagine tentar chegar a um destino a 1.000 km de distância, sem ter um mapa ou endereço. Você possivelmente chegaria lá em algum momento, mas certamente levaria muito mais tempo do que o necessário. Acontece o mesmo com a busca de um emprego. Não ter uma estratégia definida pode significar levar mais tempo no processo e sofrer alguns percalços no caminho.

Muita gente se lança de cabeça no processo, ansiosa por voltar a trabalhar, mas buscar um emprego sem ter uma estratégia previamente definida pode rapidamente se tornar um processo aleatório e improdutivo. Responder a todos os anúncios sem avaliar se são compatíveis com suas expectativas, enviar dezenas de currículos sem priorizar as oportunidades mais interessantes e não ter objetivos e formas de avaliar seu progresso, na maioria das vezes resultam em frustração e sentimento de impotência.


Alguns sintomas de que você precisa de uma estratégia em sua busca de emprego:


Objetivo de trabalho indefinido (“Eu posso fazer qualquer coisa”)

Falta de uma agenda diária (“O que eu deveria fazer hoje?”)

Medir o sucesso pelo número de currículos enviados

Falta de diversificação nas atividades relacionadas à busca de emprego (“O que mais eu posso fazer?”)

Frustração ou desânimo (“Eu tentei de tudo e nada funcionou”)

Nível errático de atividades, como por exemplo, correr para enviar um lote de currículos e depois ficar dias sem que algo aconteça.

Falta de consistência e de objetivos no uso de ferramentas como o Linkedin, Facebook, etc.

Progresso mínimo (“Sinto que não estou saindo do lugar”)

Você pode superar esses fatores através da adoção de uma estratégia bem elaborada para se apresentar ao mercado de trabalho. Sua estratégia deveria incluir:

1. Um objetivo de carreira claro e realista:

· Saiba o que você quer fazer

· Saiba o que está qualificado para fazer

· Saiba o que o mercado procura

· Se não houver demanda em sua área, prepare-se para fazer uma transição de carreira


2. Materiais cuidadosamente preparados para divulgar seu potencial e sua experiência (currículo, carta de apresentação)

· Atualize seu currículo - prepare-o de forma que possa ser customizado para cada oportunidade

· Prepare uma carta de apresentação que possa ser customizad para cada oportunidade

· Atualize seu perfil no Linkedin

3. Um plano de marketing que utilize múltiplos canais para gerar oportunidades de emprego


· Priorize o networking como a forma mais efetiva de encontrar oportunidades

· Incorpore as mídias sociais em sua estratégia

· Mantenha o foco ao responder aos anúncios de emprego


4. Escolha consciente de como vai dividir seu tempo entre as várias atividades

· Reserve tempo para continuar a se atualizar sobre as melhores práticas na busca de emprego

· Reserve tempo para continuar a expandir seu network

· Reserve tempo para manter suas habilidades afiadas (aprenda, ensine) e seu currículo atualizado

(acrescente suas novas realizações ao currículo)


5. Um sistema para gerenciar e manter organizados seus contatos, oportunidades, lista de tarefas e etapas do processo


6. Um plano - passo a passo -para implementar sua estratégia

· Desenvolva uma lista de objetivos diários, semanais e mensais

· Estabeleça uma rotina que inclua o agendamento de todas as atividades

· Celebre seu progresso no atingimento dos objetivos estabelecidos


7. Um método simples mas consistente, para acompanhar seu progresso com relação aos objetivos traçados

Criar uma estratégia de busca de emprego requer algum tempo e esforço no início, mas trará resultados mais rápidos e produtivos no curto e no médio prazos. Ao invés de pensar no que precisa fazer a seguir, você vai começar cada dia com um sentimento de propósito e energia renovada, ao perceber que progride continuamente em direção a seu objetivo.

Fonte: 


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Curso Preparatório para Docência na Área de Secretariado




A educação no Brasil passa por transformações e, cada vez mais, as Instituições de Ensino buscam profissionais qualificados para exercerem essa função. Pensando sobre a excelência na educação, a Iventys Educação Corporativa promoverá nos dias 27 e 28/05/2017 (sábado e domingo) o Curso Preparatório para Docência na Área de Secretariado (CPDAS) idealizado pelas referências na área secretarial Bete D’Elia e Walkiria Almeida. O CPDAS foi reconhecido em primeiro lugar, por voto popular, como melhor projeto na área de Secretariado em 2016 pela Conferência Nacional de Secretariado (CONASEC). O CPDAS está sendo realizado pelas empresas Phorum e Toucher, com assessoria executiva da empresa
SecGlobal e parceria do Comitê de Secretariado Executivo do DF e Sindicato dos Secretários do Distrito Federal (SISDF).

A docência tem se consolidado, nos últimos anos, como uma carreira promissora e de projeção para os profissionais que lecionam. `Muitos profissionais iniciam sua experiência na docência como um plano B, porém com as mudanças de cenário no mercado atual e as empresas privadas e instituições governamentais em crise, a docência se mostra como uma bela carreira com grandes chances de se tornar o Plano A de um profissional dedicado. Sugerimos a leitura do artigo publicado no dia 27/01/2017 de autoria da secretária executiva Cora Fernanda de Faria e colaboração da Profa. Simara Rodrigues, Coordenadora do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue da UNIP, campus Brasília, que trata perfeitamente deste tema:
“A roupa de mulher maravilha, ou super-homem, do assistente executivo: o famoso Plano B”.

Além disso, este curso aborda assuntos importantes e enriquecedores para quem deseja atender as exigências das instituições e dos estudantes. Esta será uma oportunidade única de receber um treinamento com conteúdo totalmente alinhado com as expectativas de quem precisa contratar profissionais para atuarem na docência em cursos de graduação em Secretariado.

[Público alvo]

Profissionais com formação em Secretariado Executivo e outras áreas que desejam atuar ou já atuam na docência em cursos de graduação de Secretariado Executivo.

[Programa do curso]

MÓDULO 1
1.1 Da vivência como secretário para a docência de Secretariado
– A construção da ponte
– A mudança de cenário
– O perfil dos clientes
– O perfil das Entidades
– Escolas de formação

1.2. Ensino e Aprendizagem
– Estratégias de aprendizagem

1.3. Histórico sobre alunos do curso de secretariado
– Cursos de Formação.
– Cursos de Desenvolvimento.

1.4. Gerações: X, Y e Z
– Como lidar com estudantes de diferentes gerações.

1.5. Inteligência Emocional e Programação Neurolinguística
– Relacionamento docente e estudante

MÓDULO 2
2.1. Didática de Ensino
– Cursos de Formação.
– Cursos de Desenvolvimento

2.2. Metodologias
– Cursos de Formação.
– Cursos de Desenvolvimento

2.3. Legislação
– Leis de Diretrizes e Bases – LDB
– Mudanças na LDB
2.4. Desenvolvimento de competências
– Estudo sobre competências
– Competências do profissional de secretariado designadas pelo MEC.


MÓDULO 3
3.1. DNA do Profissional de Secretariado
– Criatividade e inovação na atuação como profissional de secretariado e como docente
3.2. Plano de Ensino
– Ementa – Objetivo Geral – Objetivo Específico
3.3. Planejamento das Aulas
– Como planejar
– Objetivo
– Referências
3.4. Processo de Avaliação e Técnicas de Correção
– Avaliações (provas, exercícios)
– Seminários
3.5. Informativo
– Diferenças entre o curso técnico, tecnólogo e bacharelado.
– Disciplinas
– Valores hora/aula: formação e desenvolvimento
– Entendimento sobre os cursos: doutorado, mestrado, especialização e MBA
– Currículo Lattes: conhecimento, criação e atualização


MÓDULO 4
4.1. Dinâmicas de grupo
– Aprendizagem e técnicas
4.2. Depoimento
– Profissional de secretariado que atualmente está lecionando.
4.3. Aulas práticas: participantes prepararão e ministrarão uma aula teste
– As participantes prepararão as aulas de acordo com o conteúdo visto durante as aulas.


[Sobre as Instrutoras]

Bete D’Elia é Graduada em Português-Francês pela USP – Universidade de São Paulo, Especialização em Psicologia Universal, pelo Psyko Universal Instituto de Desenvolvimento. É Coach com formação pelo IDHL – Instituto de Desenvolvimento Humano Lippi. Palestrante e Facilitadora em treinamentos, Cursos e Workshops. Consultora para profissionais da Gestão Empresarial, no setor público e privado, com destaque no Segmento Secretarial. É Articulista das Revistas Ser Mais e Vocação Pública e em sites de Gestão e Áreas Secretariais. É Editora Adjunta da Revista de Gestão e Secretariado, GeSec, classificada como Qualis B3 pela CAPES. Autora do Livro Profissionalismo – Não dá para não ter – Editora Gente; É coautora dos seguintes Livros: As novas Competências do Profissional de Secretariado pela Editora IOB Thomson; Gestão do Tempo e Produtividade – pela Editora Ser Mais; Coaching e Mentoring – pela Editora Ser Mais; Coordenadora com Magali Amorim e Maurício Sita do Livro Excelência no Secretariado, também pela Editora Ser Mais; Organizadora com Cibele Barsalini Martins do livro Modelos de Gestão no Contexto do Profissional de Secretariado, pela Editora UFSC. Diretora Toucher Desenvolvimento Humano Ltda.

Walkiria Gomes de Almeida é Mestre em Administração, com concentração em Gestão Internacional pela ESPM- Escola Superior de Marketing e Propaganda. Especialista em Gestão Empresarial pela FECAP. Diretora da PhorumGroup Desenvolvimento Empresarial, conselheira do Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado de São Paulo – SINSESP, gestão 2016/2020, consultora da Toucher Desenvolvimento Humano, facilitadora de cursos na Unisescon – Universidade Corporativa do SESCON- Sindicato das Empresas Contábeis do Estado de São Paulo e no SIEEESP- Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo. Autora e coautora de artigos na Revista GeSec, do Sindicato das Secretárias do Estado e São Paulo. Coautora do livro Excelência no Secretariado, Editora Ser Mais. Palestrante nacional e docente na área de secretariado, na graduação e pós-graduação de Instituições renomadas.

[Carga horária]

16 horas

Para se inscrever, clique
CPDAS! Não percam esta oportunidade de ouro!

Fonte:

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A roupa de mulher maravilha, ou super-homem, do assistente executivo: O famoso plano B.

Prepare-se para tirá-la do armário. Assistentes executivos estão se especializando em diferentes áreas, e, com isso, vemos um mercado mais promissor para a carreira de docência.


Por Cora Fernanda e Simara Rodrigues 




Planejamento de carreira é um assunto que, por vezes, deixamos para depois. Beeeem depois. Mas não devemos nos descuidar tanto assim.

O tempo está passando muito rápido e tudo tem urgência: um dia nossa casa, outro, nossa família, em outro os estudos ou uma outra língua. São muitas tarefas e anseios pela carreira, o plano A, que não pensamos em um plano B, efetivamente.

Mas aqui vai um artigo cheio de boas notícias, onde mostramos que o secretariado tem crescido e se aquecido com todas estas mudanças de cenário. E mudanças trazem oportunidades. Se envolva, se comprometa e comece a planejar o seu futuro again.

Como? Não há hora específica para começar, basta que você veja esta necessidade. A construção dele não necessariamente deve ser delineado quando o seu plano A, estiver ao fim. Sua carreira, independente do momento, deve ser cuidada. Muito bem cuidada! Estou ascendendo? Estou adequada? Estou em transição? Estou confortável? Esse conjunto de perguntas converge ao seu traçado de desenvolvimento e trajetória profissional. Sendo assim, devo atentar para minhas sensações sobre a carreira. Neste ano de 2016, conclui um curso para docência em secretariado executivo. Acreditem, muitas portas se abriram, criatividade foi a mil. Não é este o sinal? Saber que podemos ir além do que nossa rotina nos traduz?

O que? Estamos falando em o que fazer? Sim! O que você vai fazer neste momento de escolha? Pela quantidade de atribuições que o assistente executivo tem, inclusive na atualidade, ele está miscigenando-se a outros profissionais. Mas não confunda! Ainda somos assistentes executivos, atuando em finanças, traduções, manutenção de casas e família, além de outros assuntos mais técnicos. Daí o questionamento: o que vou fazer? Temos uma gama de assuntos para escolher e navegar, ainda que desconhecido, desbravar. Não esqueça, o start está com você. Ainda sobre o CPDAS, curso que mencionei no parágrafo anterior, descobri outras possibilidades. Ministrados pelas fenomenais Walkíria Almeida e Bete D´Elia, surgiu de uma lacuna, ou seja, por precisarmos de profissionais capacitados para lecionar e administrar as informações de forma concisa e fiel, para aqueles que estão ingressando na carreira de secretariado. Outras palavras: assistentes executivos formando novos profissionais da área. Você é daqueles profissionais que inspiram? Que as pessoas sempre voltam em sua mesa? Que as pessoas querem por perto? Que admiram? Que contagia os demais com o secretariado? Está no caminho certo para lecionar, pois professores inspiram aqueles que estão do outro lado da tela, aquela que será pintada. Aprendizado, com certeza é uma habilidade a ser desenvolvida, e, desenvolver novos profissionais, é a chave da mudança.

Por que? Mas porque devemos olhar a oportunidade da docência com os olhos do amor? Claro, porque esta tarefa e dom só pode ser exercida por aqueles que amam o que fazem e multiplicam seu conhecimento, fazendo uma grande nebulosa de aprender- saber – aprender. A sala de aula ensina? Contagia? Trago neste artigo, uma profissional brilhante e que acrescentará tudo aquilo que devemos saber sobre docência. Ela é Simara Rodrigues, professora e coordenadora do curso de Secretariado Executivo na UNIP, Campus Brasília. Quer saber mais?

Professora.... é para copiar? Não! Agora só preste atenção no que a mestre escreverá....

Querida Cora, se o seu artigo fosse uma avaliação, diria que você gabaritou a prova e a sua nota foi 10! Parabéns pelas ricas contribuições e reflexões. Você foi muito pontual, isto porque de nada adianta acumular títulos e formações se não houver talento para ensinar, ou seja, se não existe a paciência e habilidade pedagógica essencial para a prática da docência.

Por isso, é importante saber que sendo o seu plano B a docência, será importante preservar o coração de estudante, que ao ensinar, está em constante aprendizagem; e não desenvolver um ensino mecânico como de "depósito bancário", em que apenas se injeta conhecimento acrítico nos alunos. Logo, a habilidade de lecionar precisar vir sem interesses lucrativos, sem discriminação de classe, raça ou gênero, sem mediocridade. Daí a importância em trabalhar com empatia, engajamento e propósito, atuando como um curador do conhecimento, que sabe ouvir paciente e criticamente, pois somente quem escuta é capaz de se comunicar com segurança e propriedade. 

Perceba que, muitas habilidades estão inseridas no perfil do profissional de secretariado, o que facilita transitar entre as áreas, mas não significa que exigirá menos dedicação e competência. O que a propósito, deve ser esclarecido: quem escolhe um plano B precisa ter consciência das responsabilidades e consequências e não visualizar esta possibilidade apenas como uma renda extra. Saiba que com esse pensamento, você estará fadado ao fracasso. 

E ao vestirmos essa roupa de “super-herói” que não sejamos demasiado convictos de nossas verdades, mergulhados em nosso ego, que em muitas situações é massageado pelo status e poder, que na verdade não existe. Se bem pararmos para pensar, nossos alunos são os mesmos clientes, exigentes, que encontramos no mundo corporativo, e merecem a melhor prestação do serviço, qual seja, a capacidade singular de compartilhar conhecimento, a partir de nossas vivências, experiência e disposição. E que fique claro: este conhecimento precisa ser vivido e testemunhado por nós docentes, principalmente da área de secretariado, uma vez que a teoria deve ser coerente com a prática do professor, que passa a ser uma referência e influenciador de seus educandos. Afinal, não seria convincente falar para os alunos que o tabagismo faz mal à saúde e no intervalo da aula, fumar um cigarro.

É preciso brilho nos olhos, postura positiva, sem frieza e mecanismo da leitura do slide em power point projetado na tela. É preciso emoção que movimente as atitudes dos indivíduos, mesmo aqueles mais despreparados e que alegam ter caído de “paraquedas” na profissão.

Nós docentes, precisamos estimular a alegria em nossas aulas, ao mesmo tempo que, carregando o caráter da cientificidade e dos conhecimentos teóricos, nossa área não caia na rotulação de ser apenas tecnicista e sem compromisso com os conhecimentos específicos. Por isso, a necessidade em saber lidar com esta dualidade.

O papel do docente precisa ir além da sala de aula, compreendendo a atuação na formação de pessoas e na construção de sonhos, muitas vezes adormecidos, que a partir das inspirações e referências, são despertados. Parafraseando Paulo Freire: “Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante” e assim, deixo essas inquietações na expectativa de que outros profissionais de secretariado busquem a docência, não apenas como um plano B, mas um plano de vida, que motiva, inspira e constrói.

E uma última dica: não cometa o grande equívoco de pensar que é preciso saber tudo para começar a trabalhar com o seu plano B. Esse momento nunca vai chegar. Feita a sua escolha, prepare-se, faça cursos, procure informação, acione sua rede de contatos, converse com pessoas que já atuam na área, participe de eventos, congressos, palestras e assim como fizeram os seus professores, aqueles eternizados em sua memória, seja a diferença.

Gostou? Já com ideias novas? Pensando à frente? Está preparado antes mesmo de começar?

Até a próxima!


Fonte:

http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/a-roupa-de-mulher-maravilha-ou-super-homem-do-assistente-executivo-o-famoso-plano-b/102077/